(...) A Vera sintetiza a manifestação dos segredos das consciências despertas e adormecidas, revelando o que toda pessoa tem de mais precioso, de mais Sagrado. Resume a senda espiritual da humanidade, integrando o jeito próprio de caminhar de toda pessoa. Seus oratórios manifestam os segredos da vida das pessoas na senda espiritual. Revelam o Sagrado que se vê, reconhece e acolhe com os olhos do coração.  

O templo do Silêncio: o grande Altar da Vida que reúne os altares de todas as vidas. Neste templo, a Vera representa o grande altar da vida, reunindo em todo seu espaço os altares das criaturas de todas as idades e de todos os tempos. Unidade, equilíbrio, harmonia, paz e eternidade, constituem a transcendência do Universo aqui reunindo, em atitude contemplativa, em perene oração, num gesto de inigualável unidade de adoração ao sagrado, que aqui veio residir, que aqui habita (...)

Iria Schlemmer, filósofa
"Uma Visão Quântica Universal" , 2002